Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

it's carol

Um blog sobre tudo. Sobre o que me apetecer. Acima de tudo, sobre o que sou.

17.Abr.17

Sou aquela pessoa que pede a senha do wi-fi

Sou assumidamente dependente do meu telemóvel, do meu computador, da minha máquina fotográfica e da minha internet. É grave, eu sei [mas há dependências piores]. O grande problema acontece quando estou fora de casa. Fora das zonas que considero minhas. Dos locais que costumo frequentar e onde tenho tudo aquilo que preciso para viver uma vida [minimamente] conectada. Quando estou fora [como foi o caso do fim-de-semana que passou] e passo a estar dentro de locais desconectados de tudo o que me conecta ao [meu] mundo, confesso que se torna difícil viver [e reconhecer] o quão dependente sou de uma rede wi-fi. Estas modernices são tramadas. E ainda não chegam a todo o lado [não a todo o lado onde vou]. Também é bom desligar e não viver dependente da bateria que tenho ou dos giga bytes que ainda posso gastar em dados moveis. Mas também não é fácil perder as últimas novidades das redes sociais. Eu sou aquela pessoa que procura estabelecimentos com wi-fi e aquela que no restaurante escolhe a mesa mais próxima da tomada para poder pôr o telemóvel a carregar. A questão é: há cada vez mais pessoas como eu. Cada vez mais pessoas ainda mais dependentes destas conexões do que eu. E o mundo [e não estou apenas a falar do mundo destes conectados] vai adaptar-se a isso. Os estabelecimentos vão passar a cobrar o wi-fi e as mesas mais requisitadas serão aquelas que escolho sempre, as que têm a tomada mais perto. E não me julguem. Estar conectado [na medida certa] é importante. Mais importante ainda é desconectar uma vez por outra. É o dia-a-dia dos dias que vivemos. É usar a bateria do coração acelerado, estabelecer ligações que criem as redes que nos fazem respirar, publicar aquilo que nos faz feliz e bloquear os momentos menos bons, aprender com os erros antes de ligar o corretor automático, emojinar um futuro de sonho e recarregar baterias para que tudo funcione. É recomeçar todos os dias a navegar e fazer atualizações quando acharmos que o tempo nos está a ultrapassar. É disto que sou dependente. De viver. E vivo na tecnologia dos dias que correm. Na conexão e na desconexão [esporádica, claro]. "Antigamente, isto não era nada assim". Eu sei. Mas agora é [e ainda bem]. 

 

Atualizem-se [e mandem a palavra passe do wi-fi ;) ]

 

Carol

1 comentário

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.