Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

it's carol

Um blog sobre tudo. Sobre o que me apetecer. Acima de tudo, sobre o que sou.

16.Out.17

O pior dia do ano em Portugal...

Percebi que tive um fim-de-semana normal. Percebi que aquele que foi considerado "o pior dia do ano" para mim nada mais tinha sido do que um domingo em família. Percebi que as chamas não estavam tão longe assim, tendo em conta que todos os distritos do país foram apanhados pelas chamas. E por aqui estava tudo normal. Para mim o calor era humano, o fogo expressava-se em sentimentos fortes e os corações estavam quentes por estarem reunidos num dia de descanso. É outubro. É o fim do calor e o início do frio, da chuva, dos dias curtos. Mas não. Vejo pelas imagens transmitidas pelos meios de comunicação que poucas devem ter sido as famílias que puderem passar um domingo normal, tal como eu passei com a minha. Os dias ainda estão quentes, secos e [ainda que o sol se esconda mais cedo] continuam longos para quem luta pela [e com a] vida. Porque é isso que está a ser consumido pelas chamas. Os terrenos, as casas, os animais e as pessoas nada mais são do que vidas que se perdem. Não interessam os números. O valor de uma vida não se mede através de algarismos, esse valor é superior a tudo aquilo que se possa quantificar. Esta situação deixa qualquer um sem palavras e [infelizmente] muitos sem vida [nem que seja a vida que tinham antes de chegarem as chamas]. É preciso fazer algo. É preciso fazer tudo.

 

A torcer para que venham domingos melhores. Domingos bons como aquele que tive. Que voltem os dias normais para todos. É urgente e necessário fazer algo para pôr fim as estas situações horríveis. É preciso que [quem tem poder para isso] coloque as mãos no fogo... 

 

Carol