Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

it's carol

Um blog sobre tudo. Sobre o que me apetecer. Acima de tudo, sobre o que sou.

15.Out.18

Assim Nasce Uma Estrela. E todas as constelações.

 

[Este post NÃO CONTÉM SPOILERS]

 

AStarIsBorn.png

 

Se me mudasse definitivamente para uma sala de cinema agora, nem dava por isso. De repente, parece que todos os filmes que estava à espera para ver decidiram estrear ao mesmo tempo. A verdade é que o cartaz vai-se pintando à minha medida que nem um quadro que gostaria de ter na parede do quarto. Não tarda e começo a achar pequeno o ecrã da televisão da sala, porque sala agora só se for de cinema. Os últimos com quem partilhei casa foram o Bradley Cooper e a Lady Gaga em Assim Nasce Uma Estrela.

O que posso eu dizer sobre este filme? É tema delicado para mim. Escrever-vos-ia uma crítica com pouco de crítica e excesso de adjetivos positivos. A espera por este filme vem desde o momento em que vi o trailer [em junho]. Fui à estreia. E voltei dois dias depois. Estou a tentar perceber até quantas vezes é considerado pouco-normal-mas-justificável ir ver o mesmo filme ao cinema [coisa que faço com alguma frequência quando gosto mesmo muito do que vejo]. São abordados os mais diversos temas associados ao mundo do espetáculo [alguns dos quais ganham, igualmente, espaço noutras áreas]. A começar na importância dada ao aspeto físico e à beleza perante o talento no seu estado mais puro, passando pela influência que tem sabermos que alguém acredita em nós e mostrando ainda como os fantasmas do passado têm peso na pessoa que somos no presente. A atenção que damos aos outros e a forma como olhamos para eles têm um impacto que nunca imaginamos. 

 

 

Assim Nasce Uma Estrela superou todas as minhas expectativas e espero mesmo que a Academia não o deixe escapar. Pontuação máxima para a história, enredo, realização, banda sonora, interpretação e elenco [não necessariamente por esta ordem]. Passa bem mais depressa do que as duas horas e dezasseis minutos que tem. As personagens são qualquer coisa. Há personalidade nelas, bem como em tantos outros aspetos do filme. E, antes que comece a falar nos protagonistas, que fique bem claro que não há uma única personagem colocada na história só porque sim. Todas acrescentam algo e isso, parecendo um detalhe, faz diferença. Podemos falar sobre o Bradley Cooper cantor [e artista-extremamente-completo-que-faz-tudo-com-tanta-perícia, também conhecido por homem-perfeito-inexistente-nos-dias-de-hoje]? E o vozeirão da Lady Gaga? Sou sincera, nunca foi uma cantora que despertasse o meu interesse, no entanto, depois de ver o filme, passei a olhá-la com outros olhos e a ouvi-la com outros ouvidos [quer dizer, os ouvidos são os mesmos e os olhos também... vocês entenderam o trocadilho!]. 

 

 

A banda sonora é um elemento essencial do filme e está muito bem conseguida. Comprei o álbum físico [sim, ainda se vendem cd's]. E, de um momento para o outro, o meu conhecimento musical reduz-se às dezanove faixas que compõem a banda sonora. Tenho-as a passar em loop e assim será até ficar tão enjoada que não as suportarei durante os próximos seis meses. Por agora, a vida passa-se bem assim. A título de curiosidade, deixo-vos as minhas músicas preferidas [sendo que algumas delas já estão na playlist do blog]:

 

Maybe It's Time || Shallow || Music To My Eyes || Always Remember Us This Way || Look What I Found || I Don't No What Love Is || Is That Alright? || Before I Cry || I'll Never Love Again

 

Se há filme que se deva ver no grande ecrã, este é um desses. Não é preciso gostar de musicais, de histórias de amor ou do estilo da Lady Gaga. É uma experiência que se vive no momento, com aquele som, naquele lugar, naquela sala de cinema. Esta é a quarta versão da mesma história. Nunca vi as outras, não sei se são melhores ou piores. Estou mais do que satisfeita com esta. Já estou a combinar repetir [pela terceira vez]. Quando me mudar definitivamente para a sala de cinema, eu aviso. Com vizinhos que nos dão música assim, quem não se mudaria também?! E, aqui entre nós, o Bradley Cooper é música para os meus ouvidos. 

 

Assim Nasce Uma Estrela. E todas as constelações. Desse lado, alguém já espreitou por este telescópio? O que viram? Quero opiniões para a troca.

 

Carol

2 comentários

  • Imagem de perfil

    carol 23.10.2018 15:28

    Acho que nunca me vou cansar de vê-lo [e isso é preocupante!] 😂
  • Comentar:

    CorretorEmoji

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.