Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

it's carol

Um blog sobre tudo. Sobre o que me apetecer. Acima de tudo, sobre o que sou.

06.Out.17

Afinal era mesmo ouro!

Terminou na passada terça-feira a novela Ouro Verde, transmitida na TVI de segunda a sábado. Para quem acompanha o blog [e para quem me acompanha a mim] sabe que segui este projeto com uma especial intensidade [dar-lhe-ei este termo porque é, de facto, o mais justo]. Sempre [desde que me lembro] vi novelas. E, nos poucos anos de vida que tenho, vi muitas [quase todas], mas vivi apenas algumas. Ouro Verde foi uma delas por isso este post [agora que história já chegou ao fim] é quase obrigatório [nem que seja para, de alguma forma, me conseguir libertar deste vício que me perseguiu, e que eu persegui, durante quase 9 meses]. A verdade é que as novelas são um formato que facilmente se pode tornar aborrecido e difícil de acompanhar por [muitas vezes] durar demasiado tempo [já falei sobre isso aqui]. Mas Ouro Verde teve tudo de diferente. Em pouco mais de 200 episódios [sendo uma das novelas mais curtas dos últimos anos na TVI] contou muitas histórias sem nunca perder o ritmo e mantendo sempre o interesse dos telespectadores. Esteve lá tudo. O amor, o ódio, a vingança, a justiça, o humor e o drama. Esteve lá a vida real [um dos ingredientes fulcrais para o sucesso deste projeto]. Sempre, e até ao fim, foi uma novela justa e surpreendente, fugindo aos clichés da ficção nacional. Não havia o bom e o mau [tal como não o há na vida real, todos temos um bocadinho das duas facetas]. E gostei disso, muito mesmo. Conseguem entender o quão viciante [e inexplicável] é gostar e detestar a mesma personagem? Aconteceu e só assim fez sentido. A narrativa era boa [muito boa mesmo], mas sem o elenco não tinha tido [nem de longe nem de perto] o mesmo impacto. Parecia que as personagens tinham sido construidas à medida dos atores que as interpretaram. A verdade é que Ouro Verde tinha um elenco de ouro e se eu tivesse de escolher apenas uma, acho que não conseguiria decidir qual a minha personagem preferida. 

 

F9BE799A-5213-4FB8-BEDB-36B9B9998398.JPG

 

Todas as personagens tiveram a sua importância no enredo principal. E destas "todas" de que falo não esquecerei a dupla imbatível Rita [a fantástica Dina Félix da Costa] e Laurinda [a surpreendente Ana Saragoça]; a querida Mónica [a excecional Sílvia Pfeifer]; o vilão mais humano da história da ficção nacional Miguel Ferreira da Fonseca [o incrível Luís Esparteiro]; os três representantes de uma típica família portuguesa dos tempos modernos, o inspetor Lúcio, a Paula e a Cátia [os divertidos Vítor D'Andrade, Sofia Grilo e Mafalda Marafusta]; o satanás Edson [o cómico Cassiano Carneiro]; o jornalista/pj/encantador de raparigas Gonçalini [o fabuloso Fernando Pires]; e por último [mas não menos inesquecíveis] o par Bia e Jorge [os insubstituíveis Joana de Verona e Diogo Morgado] que não poderiam ter interpretado melhor a história de amor dos dois protagonistas [à qual fiquei completamente rendida, confesso!]. 

 

 

A história terminou de uma forma diferente e até imprevisível [é ver para querer]. Mas foi sempre uma boa história, do início ao fim. E as boas histórias não se esquecem. Assim como não se esquecem as pessoas [e, neste caso, algumas personagens]. Os meus sinceros parabéns a toda a equipa que não se vê e que, no entanto, nos faz ver ficção. Os meus sinceros parabéns aos atores, as caras [bem bonitas, é importante referir] do projeto. E os meus sinceros parabéns à Maria João Costa, a autora, a responsável pelo nascimento deste ouro que teve sempre tantas cores. De uma coisa tenho a certeza, o tamanho de Portugal no mapa não representa o tamanho do talento, do trabalho, das pessoas... de tudo o que se faz por cá. Eu acredito que estamos a crescer [e com projetos assim vamos crescer muito]. Como espectadora, fica o meu obrigada. Obrigada por me fazerem esquecer que estava a rir e a falar para um ecrã, a viver uma história que foi muito mais do que uma história. Ouro Verde tem de trazer o Emmy!

 

E agora, sem novela [sem Jorge Monforte aka Diogo Morgado], o que vai levar os meus amigos a desistirem de me tentar tirar de casa à noite?

 

Carol

 

6C7550C1-8D33-448E-9D43-20ECDAED31A3.JPG

 

*se ficaste curioso/a podes sempre espreitar os episódios completos ou pequeno clipes da novela no TVI Player

**quanto à história do casal protagonista, descobri um canal de vídeos [bem interessantes!] no youtube que dão para matar as saudades

***para além da novela ter sido líder de audiências nos meses em que esteve em exibição, 1 milhão 698 mil espectadores assistiram ao último episódio, por isso acusem-se [no meio de tantas pessoas, acredito que algumas estão desse lado do ecrã]

****pronto, agora vou parar com esta coisa dos asteriscos, obrigada por terem lido tudo até ao fim!

Comentar:

CorretorEmoji

Notificações de respostas serão enviadas por e-mail.