Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

it's carol

Um blog sobre tudo. Sobre o que me apetecer. Acima de tudo, sobre o que sou.

10.Ago.17

Caminhos que mudam de cor

De malas feitas e bagageira cheia [um clássico] vínhamos preparados para aquele que é o momento [tão esperado no resto do ano] em que escrevemos juntos, durante longos dias, a palavra “férias”. Letra a letra, sem pressa, para que possamos gozar cada traço e acentuar o verdadeiro significado da palavra. Férias em família, o que há melhor do que isso? E vínhamos bem, para bem longe daquilo de que estamos sempre tão perto. Quando, em plena auto estrada, nos vimos rodeados por um imenso manto negro. As árvores que estavam ali e nos viram passar há um ano, já não existem. Eram tantas, enormes e tão verdes. Preenchiam o percurso que sempre fazemos e que [muitas vezes] já nem fazíamos questão de apreciar [damos sempre tudo como garantido, não é?]. Este ano não conseguimos deixar de ficar impressionados. São quilómetros e quilómetros pintados a preto. É realmente impressionante. As chamas destruíram tudo e ainda que tenhamos seguido viagem, o murro no estômago foi inevitável. Seguimos com a bagageira cheia, mas passámos por tantas outras malas que certamente ficaram por fazer. Por tantos lugares onde, este ano, tantas famílias vão acentuar de forma diferente a palavra “férias”.

 

Uma das coisas que mais me impressionou nos últimos dias...

 

Carol

 

IMG_3707.JPG

08.Ago.17

Às páginas tantas [#2]

Como estão as leituras desse lado do ecrã? Hoje trago três sugestões que vos vão fazer virar as páginas ao mesmo ritmo com que as ondas molham os pés descalços e pouco aventureiros à beira mar. Nada melhor do que uma trilogia para vos acompanhar neste verão. O Hotel das Recordações, Último Amor e Uma Nova Promessa de Nora Roberts dão-nos a conhecer a história de três amigas [um livro para cada uma] que [nos entretantos da vida] se reencontram e se apaixonam pelos três irmãos Montgomery. Recheado de amor, mistério e outras coisas doces, esta trilogia entrou diretamente para uma das minhas coleções preferidas de livros. Foram o primeiro contacto que tive com a escrita de Nora Roberts e confesso que gostei imenso, surgiu como uma lufada de ar fresco. O primeiro livro [que li muito antes de saírem os outros dois] surtiu um maior impacto em mim. A arrebatadora história da doce Clare [a protagonista de Hotel das Recordações] não me deixou indiferente, contudo não me arrisco a afirmar que foi a minha preferida pois as histórias de Avery e Hope também foram igualmente surpreendentes. São três livros que ficam por perto. As capas são lindas e as histórias superam-nas. Parece que fica aquele perfume bom no ar. Para quem gosta de boas histórias de amor e de vida, esta trilogia é perfeita!

 

Fãs de Nora Roberts por aí? Acusem-se, quero ler mais. Alguém tem sugestões? Sobre esta trilogia só revelo mais uma coisa, às páginas tantas aparece um fantasma...

 

Carol

 

IMG_3214.JPG

07.Ago.17

TAG - Irmandade dos/as Blogueiros/as

Nunca respondi a uma tag [mas alguma vez tinha de acontecer, acho eu]. Fui nomeada pela Marta, do blog Marta - O Meu Canto, para responder à Tag "Irmandade dos/as Blogueiros/as" [eu disse que alguma vez tinha de acontecer e parece que chegou o momento]. A Tag consiste em responder às 10 perguntas que a Marta deixou no seu blog e nomear outras 10 bloggers para responderem às 10 perguntas que eu vou deixar aqui no blog.

 

Acho que estou pronta.

 

1 - Férias: fora ou dentro de Portugal?

Férias são sempre férias. Lá fora ou cá dentro, o que conta é a intenção. Portugal tem lugares maravilhosos e [mais do que lugares] tem as nossas pessoas e as nossas coisas. Sinto-me bem cá [o que não significa que não saiba bem dar uma voltinha de avião por aí]. 

2 - Romance: cavalheirismo ou direitos iguais?

Direitos iguais [é por eles que andamos a lutar há uns bons anos]. Se os direitos forem iguais entre os géneros, seremos todos [e todas, sem distinção] mais cavalheiros uns com os outros. 

3 - Vida a dois: casar na igreja, no registo civil, ou juntar os trapinhos?

Comecemos pelos trapinhos. Depois, se as gavetas se mantiverem arrumadas e as modas desfilarem lado a lado, logo se vê se os trapinhos servem para a cerimónia na igreja. 

4 - Festas: família e amigos ou, quanto mais gente melhor, mesmo desconhecidos?

Família e amigos [tendo em conta que estes últimos irão sempre fazer-se acompanhar de algum ser desconhecido]. 

5 - Natação: mar ou piscina?

Não dá para escolher. Uma boa praia é perfeita para um mergulho, mas uma piscina no lugar certo também é bastante propicia a molhar os pés [e depois o corpo todo]. 

6 - Doces: pastéis de nata ou bolas de berlim?

Outra escolha difícil. As bolas de berlim são do verão [e de preferência para comer na praia], por isso contento-me de dizer que os pastéis de nata são meus. 

7 - Relações: uma verdade que magoa, ou uma mentira piedosa?

Uma verdade é sempre uma verdade [estou certa?]. Uma mentira [por mais piedosa que seja] nunca deixa de ser mentira [mesmo que às vezes se torne numa verdade]. 

8 - Cenário de sonho: uma cabana na serra, com muita neve lá fora e lareira para aquecer, ou casa na praia, em pleno clima tropical? 

Aceito convites para os dois cenários [não tenham vergonha de oferecer]. Contudo a casa na praia em pleno clima tropical atrai-me mais do que uma cabana na serra com muita neve lá fora. Antes um mergulho na água em estado líquido do que em estado sólido. 

9 - Animais: gatos, cães ou outras espécies?

Anda para aí cada espécie de animal à solta que tenho medo de arriscar por isso fico-me pelos cães. 

10 - Tempo: um minuto na vida, ou a vida num minuto? (em sentido figurado, claro)

Ia divertir-me muito mais se me oferecessem um minuto na vida [ia aproveitar à grande, de certeza] do que a vida num minuto [tudo passa tão rápido que ver a vida num minuto não daria para ver metade das coisas que me fazem feliz]. 

 

 

Era só isto. Já me estreei. Agora deixo as minhas 10 perguntas:

1 - Oferecem-te uma viagem no tempo que não podes recusar. Viajas 10 anos para trás ou para a frente?

2 - Um filme que te arrependes de ter visto?

3 - Prepara-te para fazer duas das escolhas mais difíceis deste mundo [ou talvez não]: um telemóvel com wi-fi mas sem carregador ou um telemóvel com carregador mas sem wi-fi?

4 - Fotografar ou ser fotografada?

5 - Se tivesses obrigatoriamente de apagar o blog amanhã, qual era o título do último post que irias escrever no blog?

6 - Tens [ou já tiveste] alguma celebridade que consideres como o teu idolo?

7 - Uma saída com amigos: discoteca até de madrugada ou jantar e ficam todos em casa a conversar?

8 - Qual foi a frase que alguém alguma vez te disse e que nunca esqueceste [não precisa de ser profunda, há frases que simplesmente nos ficam na cabeça]?

9 - Quando estás no carro ouves rádio ou escolhes a música que queres ouvir?

10 - Se pudesses voltar atrás no tempo e dizer alguma coisa que ficou por dizer [porque só te lembraste depois, é o que acontece sempre], o que dirias?

 

E [mais ou menos] como pedem as regras vou nomear outras seis blogueiras.

JoanaMariaChic'AnaCristinaRita e Elza aceitam o desafio?

 

Obrigada pela partilha, Marta!

Carol

03.Ago.17

Vou ser uma avó bué cool?

Em conversa com os meus amigos [aquelas conversas que metem ao barulho todo o tipo de assunto a que ninguém consegue ficar em silêncio] questionámo-nos sobre como vamos ser quando formos velhos. Temos 19 anos. Gostamos de pensar muito à frente. Começámos a imaginar-nos com 80 anos. Chegámos à conclusão que vamos ser uns velhos muito avançados para o nosso tempo. E como é que chegámos a esta conclusão? Simples. Quando formos velhos vamos dizer coisas como "ya", "bué", "lol" e outros "estrangeirismos" [uns mais internacionais que outros] no meio das frases, sabemos mexer [com alguma perícia] em telemóveis e computadores [e tudo o que envolva alta tecnologia], podemos [com orgulho] dizer que fomos das primeiras gerações a criar conta no facebook e no instagram e até selfies sabemos tirar. Quem é que não vai querer um avô ou uma avó assim? Portanto [pela lógica da coisa] quando formos velhos vamos estar muito mais à frente do que os nossos netos. E agora vocês perguntam: têm 19 ou 9 anos? Pois. Sabem como é. Foi uma conversa daquelas onde mexemos no relógio. Avançámos os nossos ponteiros e deixámos todos os dos outros exatamente onde estavam. Fizemos a coisa como nos deu mais jeito. Queremos lá nós que haja uma geração mais avançada que a nossa, que nos deixe envelhecer com o tempo, que viva num mundo mais evoluído que aos poucos nos vai calando os "bués", substituindo os smartphones de última geração, atualizando os "facebooks" e os "instagrames" e tirando fotografias que não se limitem a espelhar os nossos próprios rostos. Qual é a geração que não quer ser [para sempre] a geração mais atual [aquela que acha que sabe tudo]? 

 

Por enquanto, gostamos de pensar que daqui a 60 anos ainda andamos cá para as curvas, mesmo sabendo que o mundo há-de decidir seguir em frente. 

 

Carol

 

IMG_2404.JPG

01.Ago.17

Um like para o mês de agosto

Agosto, o pico do verão [seja lá o que isso for]. Agosto, também conhecido como o mês em que o número de fotografias partilhadas nas redes sociais aumenta substancialmente [por parte daqueles que estão a gozar umas belas férias, claro]. Nunca fomos tão facilmente inseridos nas férias uns dos outros nem nunca conseguimos estar em tantos lugares ao mesmo tempo como agora. Até aqueles que preferem ficar na toalha [até esses!] são obrigados a molhar os pés nas águas de um mar incrivelmente azul ou na água cheia de cloro da piscina da casa de férias da família Soares. Dividimos a toalha com todos os que 'seguimos' e os que nos 'seguem' [pena que não dê para partilhar tão facilmente uma bola de Berlim]. Ativamos a localização do telemóvel para que não restem dúvidas que a foto não foi retirada da internet e partilhada no conforto do sofá da nossa casa. Escolhemos um filtro que realce o bronze [que muitas vezes não temos] e encolhemos a barriga para disfarçar uma possível gravidez [mesmo que estejamos 'grávidos' de tudo o que comemos durante o resto do ano, ninguém precisa de saber isso em agosto]. Retiramos uma frase daquela música que está sempre a passar na rádio para colocar na legenda da foto e depois é só esperar que chovam likes [a única chuva de que gostamos no verão]. Partilhamos tudo. Especialmente agora. Porque [ao gosto de cada um] agosto é o mês de partilhar as férias com o mundo [que nesta altura está dividido entre as pessoas que estão de férias e as que não estão, no entanto quase se sentem de férias só por ver o calor que circula nas redes]. Mas [por favor] não pensem que por não partilharem as vossas belas férias [que são sempre mais belas nas fotos do que na realidade] os outros vão pensar que não se estão a divertir tanto quanto eles, é que enquanto uns aproveitam mesmo, os outros estão mais preocupados em parecer-que-estão-a-aproveitar. Cada um sabe de si, as redes sociais sabem de todos. Se até agora os flamingos cor-de-rosa e as boias coloridas têm preenchido os vossos ecrãs, então preparem-se porque daqui em diante é que isto vai aquecer. 

 

Sigam-se a vocês mesmos. Deem um grande like nas coisas boas da vida [aquelas que não se partilham].

Que seja um mês feliz,

 

Carol

 

IMG_2389.JPG

Pág. 2/2