Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

it's carol

Um blog sobre tudo. Sobre o que me apetecer. Acima de tudo, sobre o que sou.

14.Ago.18

Significados de Algarve em agosto

carol
Português que é português sabe que tem duas opções no verão: ou corre de férias para o Algarve ou foge das férias no Algarve. E, ainda que haja fugitivos, em agosto o sul do país transforma-se. Se Portugal se equilibrasse consoante a distribuição da população ao longo do país, haveria certamente um desequilibro e acabaríamos todos com os pezinhos nas praias algarvias, o que, vendo bem, já acontece. Aconteceu-me. É por isso que aqui estou.Segundo a
10.Ago.18

Videoclips sem música [It's Youtube #4]

carol
Verão que é verão pede uma boa banda sonora. E o que eu gosto das músicas com sabor aos dias sem relógio, esse maestro disfarçado. Há notas que têm o tom certo e depois há ideias fora das pautas, que nos divertem ainda mais. Descobri o canal Without Music e não podia deixar de o partilhar: como seriam os videoclips se não tivessem música, mas sim os sons das situações e contextos que retratam? Atentem (...)
06.Ago.18

Termómetro estacionado

carol
Este calor não é estacionamento onde queira aparcar. Fosse o veiculo movido a água salgada e areia, revirava o mundo à procura do lugar mais fresco. O mar é destino querido por muitos. Estacionam-se toalhas, chapéus, lancheiras pesadas e até tendas. A praia é parqueamento lotado por corpos que acampam ao mínimo sinal de subida de temperatura. O verão está estranho. Arrumámos as viaturas nos espacinhos que sobram, mas quando pedimos calor não pedíamos esta gorjeta. (...)
23.Jul.18

O poder de um postal

carol
Diz, quem sabe, que o mundo é redondo. E, pelas voltas que a vida dá, sou capaz de acreditar. Se é plano, não me pertence, já que saiu fora dos meus planos ao descobrir parte de si num postal no interior da minha caixa do correio. Um postal [sintam a excitação, por favor!]. Escrito à mão. Com selos. Vindo diretamente do Dubai. Com uma mensagem de uma das minhas melhores amigas. Não sei como reagir. Devo conseguir contar pelos dedos das mãos o número de vezes que recebi (...)
13.Jul.18

Como uma onda do mar

carol
Podes tentar. Podes até procurar no recanto mais escondido, na gaveta mais trancada, no local mais distante. Podes imaginar, se não o conseguires ver. E podes até nem ver bem. Ninguém vê bem o sol se não souber esperar pela melhor hora para o apreciar. Pacientemente, é possível vê-lo esconder-se, sabe-se lá onde. Retira-se num piscar de olhos aos olhos de quem o observa. Traz a noite, sem mudar muito mais do que a luminosidade das ruas. Faz-se bonito, consoante os lugares. (...)